26 de jun de 2017


Eu estava lá na primeira edição do Rock In Rio (1985), e bem no dia em que essa alienígena subiu no palco com uma puta banda cheia de swing e bem humorada! Melhor show da noite.
Desde lá e até semana passada só conhecia o álbum que a tornou famosa mundialmente cantando em inglês e que contém clássicos como New York New York e What It Is. Mas sua discografia e carreira é muito mais potente, irreverente e antiga. Ando encantado com sua originalidade, não deve nada ao maluco Frank Zappa que inclusive apadrinhou a cantora e a fez conhecida na América.
Sem dúvidas, é uma diva do pop. Sua voz não tem medo de se expressar, conhece as artimanhas do canto erudito e de todas as vertentes do rock. E cantando em sua língua, o alemão, ai tudo fica mais dramático, intenso e curioso.
Presto uma rápida homenagem montando esse poster que contém imagens de sua performance em um de seus sons mais loucos: Naturtrane

6 comentários:

  1. Saudades dos primeiros festivais Rock in Rio... acho que agora virou Axé in Rio, Samba in Rio... etc in Rio.

    ResponderExcluir
  2. Subscrevo o que escreveste sobre a Nina. Ninguém fica indiferente à sua voz e variações vocais.
    Po cá, já se fazem edições do Rock In Rio com muito sucesso.
    Bjinho, Ricardo

    ResponderExcluir
  3. Acho a voz dela marcante...merecida homenagem...

    ResponderExcluir
  4. Adorei o poster, que capta na perfeição a sua irreverência... que sempre foi a sua imagem de marca!
    Quanta nostalgia boa!... Já não a ouvia há imenso tempo! Adorei recordá-la por aqui!
    Um grande abraço! Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  5. Por aqui, [em mim] a Nina andava esquecida... e foi uma explosão de memórias!
    Fantástico, o teu trabalho, também! Obrigado, Ricardo!
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Aplausos para sua homenagem
    Nina, uma pioneira!

    Um abraço grande

    ResponderExcluir